Redação

Clima favorece final das colheitas das lavouras de soja, milho e arroz

A soja alcançou 68% da área colhida no estado, com 25% madura e por colher e 7% em enchimento de grãos. A colheita segue intensificada, alcançando 920 mil hectares, favorecida pelo predomínio do clima seco. De acordo com informativo conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar na quinta-feira (11/4), a chuva, embora tenha provocado a interrupção da colheita, favoreceu a cultura, tanto as lavouras tardias em enchimento de grãos como as lavouras prontas que apresentavam baixa umidade no grão.

No milho, a colheita atingiu 75% da área, evoluindo 5% em relação a semana anterior; 16% das lavouras estão maduras e por colher, e 9% em enchimento de grãos. Com a proximidade do final da colheita da soja, os produtores das regiões do Alto Jacuí, Celeiro e Noroeste Colonial se preparam para retomar a colheita do milho, já que as lavouras que restam estão maduras.

Nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões, a produtividade média supera a expectativa inicial e chega aos 8.072 quilos por hectare. As chuvas do meio da semana foram benéficas para as lavouras do milho safrinha. No momento, é realizado o controle de pragas e iniciado o corte do milho para silagem.

No arroz, a colheita atinge os 72% de área, com 25% maduras e por colher. As condições climáticas têm favorecido as lavouras cultivadas, possibilitando boas condições para complementar o período reprodutivo e a maturação. As produtividades médias têm sido consideradas muito boas, acima das 8 toneladas por hectare nas principais regiões, exceto nas lavouras na área Central do Estado, com média de 7 toneladas por hectare.

Restam apenas 2% da área de feijão primeira safra a ser colhida no estado, concentrada na região dos Campos de Cima da Serra, onde as condições meteorológicas são favoráveis, proporcionando excelente qualidade dos grãos. Os rendimentos seguem ao redor de 2.500 quilos por hectare. Já em relação a segunda safra do feijão, 14% de lavouras foram colhidas, com bom potencial produtivo. Nas áreas cultivadas com sistemas de irrigação, há excelentes perspectivas de rendimento.

Pastagens
A semana se caracterizou pelo retorno das precipitações e pela redução do calor, o que favorece o rebrote do campo nativo e das pastagens perenes. Isso proporciona aos rebanhos boa oferta forrageira e permite a implantação e germinação das pastagens de inverno, como aveia e azevém. A exceção está na região Sul, especificamente no litoral, onde a estiagem prejudica a produtividade das lavouras de grãos para a produção de silagem. Algumas áreas de campo nativo apresentam boa quantidade de forragem, porém, de baixa qualidade.

Bovinocultura de corte
O rebanho bovino apresenta boas condições corporais, resultantes de um verão com clima benéfico para a alimentação animal em quantidade e qualidade. Esse quadro permanece favorável, mesmo considerado o início do vazio forrageiro, quando os produtores ainda não dispõem de pastagem de inverno e o campo nativo já se encontra fibroso, com menor qualidade.
Segue a realização de diagnósticos de gestação das matrizes inseminadas ou entouradas, e são esperados bons índices de prenhez devido às condições de clima e alimentação durante o período reprodutivo.

A produção de terneiros da safra anterior está sendo preparada para o período tradicional de feiras específicas de comercialização de terneiros. Os pecuaristas da região de Erechim, por exemplo, estão preparando os animais para participar de remates. Muitos produtores não pretendem castrar seus terneiros, tendo em vista que o comércio de exportação prefere terneiros inteiros.

Piscicultura
Em todo o estado, os piscicultores preparam os peixes para as feiras da Semana Santa e aumentam a atenção e o manejo dos açudes. Na maior parte dos municípios, são organizadas feiras do peixe aos finais de semana e, em propriedades onde ocorre despesca dos açudes, há comercialização direta ao consumidor. As espécies mais comercializadas são tilápia, carpa, traíra, jundiá e lambari. No momento ocorre reserva de alevinos para povoamento após as despescas por conta da Páscoa.

Apicultura
Com o final da floração das principais lavouras, se reduz a oferta de alimentos para as abelhas, garantida então pelas espécies florestais e nativas em geral. Em Maçambará, o resultado de análise de abelhas e favos da localidade Serra do Iguariaçá, encaminhado pela inspetoria veterinária do município, apontou presença dos ingredientes ativos fipronil (inseticida) e estrobilurina (fungicida). Na região de Pelotas, a alimentação é oferecida com açúcar invertido ou xarope devido à oscilação da temperatura. Ocorre controle da varroa. Compradores estão encaminhando amostras de mel para análise devido à identificação de contaminantes como glifosato e amitraz.

Na região de Santa Rosa, a colheita está concluída e os apicultores se organizam para a venda do mel. Há relatos de morte de enxames. Estima-se uma média de 30 quilos por colmeia nas duas/três colheitas realizadas. Na região de Soledade, a semana apresentou condições climáticas propícias para a apicultura, com intenso movimento das colmeias em função da floração abundante de espécies nativas (eucaliptos, vassouras, aroeiras, entre outras). Produtores realizam a colheita do mel antes da redução da temperatura média.

Texto: Adriane Rodrigues/Ascom Emater/RS-Ascar
Edição: Secom

  9 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

9 Acessos

Caçapava do Sul terá empréstimo de maquinário para recuperar estradas vicinais

O governo do Estado segue prestando auxílio aos municípios atingidos pelo temporal de janeiro. Agora, a Secretaria de Obras e Habitação (SOP) firmou convênio com prefeitura de Caçapava do Sul para empréstimo de escavadeira hidráulica destinada à recuperação de  estradas vicinais. O documento foi assinado pelo secretário José Stédile e pelo prefeito Giovani Amestoy nesta sexta-feira (12/4), no gabinete da SOP, em Porto Alegre. O maquinário estará à disposição pelos próximos 30 dias.

Stédile destacou que, somente neste ano, cerca de 15 mil famílias já foram beneficiadas com a contratação de maquinário ou o empréstimo de escavadeira hidráulica. “Trabalhamos em conjunto com as prefeituras para amenizar os prejuízos do temporal e contribuir com a retomada da normalidade nos municípios”, resumiu, lembrando que o convênio é liderado pelo Departamento de Desenvolvimento Urbano (DDU) da SOP através do Programa de Apoio aos Municípios. A diretora do DDU, Letícia Gomes, participou da assinatura.

O prefeito lembrou que o município teve o decreto de emergência reconhecido pelo governo do Estado e homologado pela União. “O apoio do governo do Estado é fundamental. A prefeitura já contratou 350 horas-máquina para atender a região rural”, informou, adiantando as diretrizes do trabalho que será realizado pela escavadeira. “As estradas serão recuperadas com cascalho. Nosso município conta com 7 mil quilômetros de estadas vicinais”, completou. A população rural de Caçapava do Sul é estimada em 8,5 mil habitantes.

Atualmente a escavadeira hidráulica está na cidade de Vale Verde. A previsão é que a máquina chegue em Caçapava do Sul na próxima semana, após publicação no Diário Oficial do Estado.

Texto: Saul Teixeira / Ascom SOP
Edição: Secom

  9 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

9 Acessos

Agricultura moderniza gestão para reduzir custos e melhorar prestação de serviços

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) promove uma série de ações para modernizar e dar mais agilidade à administração. O resultado será a redução de custos e a melhora na prestação de serviços públicos. Entre as ações já adotadas, estão o aumento em 10 vezes da velocidade de dados nas inspetorias veterinárias, o início de projeto para instalar centrais de autoatendimento ao produtor, a otimização da frota de veículos e melhorias no sistema Produtor On Line. “Temos uma necessidade urgente de modernizar processos e estrutura, e estamos trabalhando forte para oferecermos serviços à altura das demandas da agricultura gaúcha”, afirma o secretário Covatti Filho.

Uma das primeiras iniciativas foi a qualificação dos dados digitais nas 137 inspetorias veterinárias, onde a velocidade de processamento passou de 1MB para 10MB. ”Revisamos os pontos duplos, renegociamos os planos e otimizamos as necessidades, aumentando a velocidade em 10 vezes e reduzindo 30% dos custos”, explica o diretor administrativo, Gabriel Fogaça. Com as alterações, o Estado passou a economizar R$ 23 mil mensais, o que significa mais de R$ 1 milhão em quatro anos.

Autoatendimento

Outra modernização nas inspetorias veterinárias será a instalação de um serviço de autoatendimento. Já está em fase de testes um totem na recepção da sede da Seapdr, na capital. Por meio desse autoatendimento, o produtor rural poderá executar uma série de serviços, como gerar Guia de Trânsito Animal (GTA), controlar saldos e vacinas. “O serviço de balcão continuará disponível, e o projeto facilitará ao produtor a utilização dos serviços sem que ele precise de deslocar até a inspetoria, reduzindo custos para o agricultor e também para o Estado”, afirma Covatti Filho.

Na área dos transportes, a administração da Seapdr realizou remanejo da frota e retirou 50 carros antigos de circulação, sem prejudicar a prestação de serviços. Com a desativação da frota, o Estado deve economizar de R$ 350 mil a R$ 400 mil ao ano com custos de manutenção e combustível.

Senhas por um ano

Outra ação que beneficia diretamente os produtores rurais é a alteração do período de validade das senhas e outras facilidades no portal Produtor Rural On Line. Até agora, a senha era suspensa se o sistema não fosse utilizado por um período de três meses. “No sistema antigo, ao passar três sem acessar, o produtor precisava ir pessoalmente até a Inspetoria Veterinária para renovar a senha, mesmo que não fosse utilizar”, lembra Fogaça. “Agora, a senha tem validade de um ano, sendo automaticamente renovada por mais um ano quando o sistema for acessado”, acrescenta.

“Há muito ainda a ser feito, com o objetivo principal de desburocratizar e facilitar a atividade dos produtores gaúchos”, destaca Covatti Filho.

Texto: Ascom Seapdr
Edição: Secom

  9 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

9 Acessos

Alvorada e Herval são os dois primeiros a terminaram colheita de arroz

O Rio Grande do Sul alcançou, nesta semana, 76% (748.151 hectares) da área colhida de arroz do total estimado de 984.081 ha da safra 2018/2019. A produção soma 5.801.185 toneladas até o momento, com produtividade média de 7.754 quilos por hectare. Dois municípios já atingiram 100%: Alvorada e Herval.

Os dados são da Seção de Política Setorial do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), com informações fornecidas pelo Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural (Dater) e pelos Núcleos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Nates).

A região mais adiantada do Estado ainda é a Planície Costeira Externa (PCE), que registra área colhida de 93.991 ha (83,3%), produção de 683.311 toneladas e uma produtividade de 7.270 kg/ha.

A PCE é seguida de perto pela regional Zona Sul, com 129.387 ha (83,1%), com produção de 1.069.449 toneladas e atingindo a maior produtividade no RS: 8.266 kg/ha. A Fronteira Oeste aparece logo após, com 245.146 ha (81,3%), com produção de 1.944.130 toneladas e produtividade de 7.930 kg/ha.

Irga mapa arroz RS abril Planície Costeira Externa registra maior percentual de área colhida (83,3%), e Zona Sul, melhor produtividade: 8.266 kg/ha - Foto: Política Setorial / Irga

Para verificar a evolução da colheita de arroz de cada município gaúcho, acesse levantamento completo aqui.

Texto: Ascom Irga
Edição: Secom

  22 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

22 Acessos

Inscrições abertas para a oficina Ator x Monólogo na CCMQ

Estão abertas as inscrições para a oficina Ator x Monólogo, ministrada pela atriz e produtora Joana do Carmo na Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ). A finalidade é propiciar ao ator autonomia na criação, aprimoramento da linguagem estética e potencialização da identidade artística. As aulas serão de 20 de abril a 22 de junho, sempre aos sábados, das 10h às 13h. A turma tem limite de dez vagas.

Joana concebeu a oficina após perceber a necessidade de existir um espaço onde o ator com experiência possa vivenciar um texto ou personagem que lhe desafie. “Sempre procurei linguagens diversas até descobrir a forma como gostaria de ser percebida como artista", conta. Ela se questionava sobre o que os atores desejam imprimir enquanto identidade estética e artística. "O ator necessita investigar, aprimorar, exercitar sua criatividade, até encontrar uma forma orgânica e prazerosa de criar.”

A oficina se destina a atores e estudantes de teatro que desejam encontrar novas práticas de interpretação de texto e criação da personagem por meio da investigação para uma encenação. A ideia principal de Joana parte do estudo de textos para monólogos breves. Na oficina, o ator realizará, através do estudo de um monólogo, a vivência do seu personagem ideal. Serão dois meses de imersão em um espaço criativo, a partir de práticas em que o aluno pode encarar um monólogo, reinventar grandes clássicos ou aprimorar projetos pessoais de personagem.

Joana do Carmo foi premiada pelo Fundo Municipal de Cultura de Torres (Fumcutlura) em 2015 para a montagem da peça de teatro de rua "A mulher do atirador de facas", com direção de Fernando Kike Barbosa. Desde então, o espetáculo teve 38 apresentações em seis cidades gaúchas, além de ter participado de cinco festivais.

A atriz tem formação na Sitorne – Estúdio de Artes Cênicas em Salvador e busca desenvolver seu trabalho com diversos professores e grupos. Morou nove anos no Rio de Janeiro, onde fez cursos com Luiz Carlos Vasconcelos, Hugo Possolo, Fátima Toledo, Walter Lima Jr. e Antonio Amancio. Na capital fluminense, também participou de peças de teatro e produziu o festival "Anjos do picadeiro". Atualmente, dedica-se aos projetos da Cia Teatral Família&Arte.


Oficina de teatro “Ator x Monólogo”
Quando: de 20 de abril a 22 de junho, sempre aos sábados
Horário: das 10h às 13h
Local: Sala Marcos Barreto, no 4º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736 – Centro Histórico, Porto Alegre)
Investimento: R$ 300, parcelado em duas vezes
Contatos: (51) 98546-2777, Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Texto: Ascom Sedac
Edição: Secom

  7 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

7 Acessos

RS Seguro amplia combate ao crime com operação integrada em 13 cidades na Serra

Depois dos expressivos resultados das quatro Operações Integradas Metropolitanas em 34 municípios da Grande Porto Alegre, dentro do programa RS Seguro, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) começa a expandir nesta quinta-feira (11/4) o modelo que fomenta a estratégia de colaboração entre órgãos de todas as esferas. A ação começou pela região serrana. Com mais de 300 agentes e cerca de 120 viaturas, foi deflagrada no início da noite, uma operação integrada em 13 municípios.

A ação que reúne efetivos de todas as forças da Segurança Pública estadual, com servidores de órgãos municipais e federais, realiza atividades de policiamento em fiscalização em mais de 100 pontos.

Além de barreiras de trânsito para verificar eventuais irregularidades e identificar veículos alvo de furto ou roubo, a operação faz abordagens em pontos estratégicos e de maior incidência de crime, bem como fiscalização em bares e estabelecimentos comerciais.

Participam da operação efetivos de Brigada Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Instituto-Geral de Perícias (IGP), Guardas Municipais e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

"O que vemos aqui é reflete os três pilares do programa RS Seguro: integração, inteligência e investimento qualificado. Começamos com esse modelo de operações em março na Região Metropolitana de Porto Alegre e agora, começando aqui na Serra, vamos expandir pelo estado. A redução vista no primeiro trimestre em praticamente todos os indicadores de criminalidade mostram que estamos no caminho certo", afirmou o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, na solenidade de lançamento da operação, na sede do 12° Batalhão de Polícia Militar, em Caxias do Sul.

Operação integrada Serra Fiscalização se estendeu a bares e estabelecimentos comerciais - Foto: Divulgação / SSP

Reação imediata

O início da expansão das operações integradas metropolitanas pela Serra também responde aos recentes episódios de retomada do conflitos entre grupos criminosos na área.

A reação imediata do Estado visa preservar os resultados expressos pelos indicadores criminais do primeiro trimestre de 2019, que mostrem redução em relação ao mesmo período do ano anterior na maioria dos delitos na região.

Na soma dos 13 municípios, os homicídios caíram 17,1%, de 41 entre março e janeiro de 2018 para 34 em igual intervalo deste ano. Os roubos tiveram redução de 24,2% e os roubos a comércios, caíram 44,9%. Os roubos de veículo tiveram pequena alta, com seis casos a mais no trimestre inicial de 2019 frente aos três primeiros meses de 2018.

"Pesquisa realizada pelo jornal O Globo sobre os primeiros 100 dias dos governos estaduais de 10 unidades federativas colocou o Rio Grande do Sul como o Estado melhor avaliado. Na nossa área específica da Segurança Pública, só São Paulo, Bahia, Ceará e o Rio Grande do Sul receberam bandeira verde. Essa avaliação é mais um dado para comprovar que estamos no rumo certo", finalizou o vice-governador.


Municípios onde ocorre a operação integrada:

RS Seguro Bento Em Bento Gonçalves, agentes aguardam início da operação - Foto: Divulgação / SSP

- Antônio Prado
- Bento Gonçalves
- Carlos Barbosa
- Caxias do Sul
- Farroupilha
- Flores da Cunha
- Garibaldi
- Ipê
- Monte Belo do Sul
- Nova Pádua
- Pinto Bandeira
- Santa Tereza
- São Marcos

Texto: Ismael Moreira/Ascom SSP
Edição: Marcelo Flach/Secom

  13 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

13 Acessos

Governo participa de debate sobre concessão de parques nacionais

A concessão de parques e florestas nacionais na Serra foi tema de reunião na noite desta quinta-feira (11/4), em Cambará do Sul. Além do governador Eduardo Leite, participaram do encontro o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e autoridades municipais, estaduais e federais.

Os focos da concessão, ainda sem data para ser lançada, são a Floresta Nacional de Canela, a Floresta Nacional de São Francisco de Paula e o Núcleo de Gestão Integrada Aparados da Serra Geral, em Cambará do Sul, que compreende o Parque Nacional Aparados da Serra (cânion Itaimbezinho) e o Parque Nacional da Serra Geral (cânion Fortaleza).

A proposta do Ministério do Meio Ambiente é conceder os parques à iniciativa privada, a fim de que os operadores assumam a manutenção da infraestrutura, incluindo tudo que diz respeito à visitação. Hoje, o Aparados da Serra Geral recebe, anualmente, cerca de 250 mil visitantes.

Se os parques forem concedidos, a expectativa do prefeito de Cambará do Sul, Schamberlaen Silvestre, é de que o número salte para 1 milhão. A concessão, portanto, é esperada pelo Executivo municipal, e deve movimentar também o comércio local.

O governador Eduardo Leite vê com a iniciativa do ministério, considerando a geração de empregos e a qualidade do serviço prestado pela iniciativa privada. “É uma oportunidade de qualificar a infraestrutura do parque e a experiência de visitação dos gaúchos”, explicou. O governador também afirmou que busca alternativas para aperfeiçoar o acesso aos parques, que inclui um trecho não pavimentado na ERS-427. Hoje, para chegar ao local, o visitante precisa percorrer um trajeto de 18 quilômetros de chão batido.

Apoio à iniciativa

Os parques passaram por estudos de viabilidade feitos pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Para o ministro Ricardo Salles, os parques e as florestas gaúchos representam um potencial significativo a ser explorado. “Fiquei impressionado com a beleza natural e com a estrutura já disponível, com trilhas bem demarcadas e proximidade ao centro urbano”, relatou, sobre visita feita à tarde aos parques de Canela e de São Francisco de Paula.

Ainda segundo o ministro, o setor de concessões está em ascensão no Brasil. “Há grande expectativa de crescimento. Esperamos elaborar rapidamente um plano para os parques do RS”, garantiu, afirmando que o apoio demonstrado por Leite e pelos prefeitos dos municípios envolvidos traz força à iniciativa. Salles espera que, até outubro, o edital das licitações esteja concluído, e não descarta a participação de operadores internacionais.

Na manhã desta sexta-feira (12/4), o governador e o ministro, acompanhados de grupo de parlamentares estaduais e federais e do secretário estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, visitarão os dois parques em Cambará do Sul.

Texto: Suzy Scarton
Edição: Marcelo Flach/Secom

  7 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

7 Acessos

Governo participa de discussão sobre concessão de parques nacionais na Serra

A concessão de parques e florestas nacionais na Serra foi tema de reunião na noite desta quinta-feira (11/4), em Cambará do Sul. Além do governador Eduardo Leite, participaram do encontro o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e autoridades municipais, estaduais e federais.

Os focos da concessão, ainda sem data para ser lançada, são a Floresta Nacional de Canela, a Floresta Nacional de São Francisco de Paula e o Núcleo de Gestão Integrada Aparados da Serra Geral, em Cambará do Sul, que compreende o Parque Nacional Aparados da Serra (cânion Itaimbezinho) e o Parque Nacional da Serra Geral (cânion Fortaleza).

A proposta do Ministério do Meio Ambiente é conceder os parques à iniciativa privada, a fim de que os operadores assumam a manutenção da infraestrutura, incluindo tudo que diz respeito à visitação. Hoje, o Aparados da Serra Geral recebe, anualmente, cerca de 250 mil visitantes.

Se os parques forem concedidos, a expectativa do prefeito de Cambará do Sul, Schamberlaen Silvestre, é de que o número salte para 1 milhão. A concessão, portanto, é esperada pelo Executivo municipal, e deve movimentar também o comércio local.

O governador Eduardo Leite vê com a iniciativa do ministério, considerando a geração de empregos e a qualidade do serviço prestado pela iniciativa privada. “É uma oportunidade de qualificar a infraestrutura do parque e a experiência de visitação dos gaúchos”, explicou. O governador também afirmou que busca alternativas para aperfeiçoar o acesso aos parques, que inclui um trecho não pavimentado na ERS-427. Hoje, para chegar ao local, o visitante precisa percorrer um trajeto de 18 quilômetros de chão batido.

Apoio à iniciativa

Os parques passaram por estudos de viabilidade feitos pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Para o ministro Ricardo Salles, os parques e as florestas gaúchos representam um potencial significativo a ser explorado. “Fiquei impressionado com a beleza natural e com a estrutura já disponível, com trilhas bem demarcadas e proximidade ao centro urbano”, relatou, sobre visita feita à tarde aos parques de Canela e de São Francisco de Paula.

Ainda segundo o ministro, o setor de concessões está em ascensão no Brasil. “Há grande expectativa de crescimento. Esperamos elaborar rapidamente um plano para os parques do RS”, garantiu, afirmando que o apoio demonstrado por Leite e pelos prefeitos dos municípios envolvidos traz força à iniciativa. Salles espera que, até outubro, o edital das licitações esteja concluído, e não descarta a participação de operadores internacionais.

Na manhã desta sexta-feira (12/4), o governador e o ministro, acompanhados de grupo de parlamentares estaduais e federais e do secretário estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, visitarão os dois parques em Cambará do Sul.

Texto: Suzy Scarton
Edição: Marcelo Flach/Secom

  11 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

11 Acessos

Colégio técnico de Cachoeira do Sul recebe doação para qualificar infraestrutura

A Escola Técnica Nossa Senhora da Conceição, em Cachoeira do Sul, foi beneficiada com a doação de R$ 6 mil para reforma e ampliação do galpão de armazenamento das máquinas utilizadas no curso técnico em agropecuária.

Realizada por meio do Programa Escola Melhor: Sociedade Melhor, da Secretaria da Educação (Seduc), a iniciativa contribuiu na melhoria da infraestrutura do ambiente de aprendizagem de 311 estudantes. A Cooperativa de Crédito, Poupança e Investimento (Sicredi) foi parceira no investimento.

O secretário da Educação, Faisal Karam, destaca a importância do programa e a participação da comunidade escolar para a qualificação do ensino gaúcho: “O programa permite a contribuição direta dos parceiros em pequenas reformas ou em grandes obras. Pedimos às escolas que busquem parcerias com as suas comunidades e incentivem a criação desta rede de apoio.”

A conservação das máquinas utilizadas em aula é de fundamental importância para o desenvolvimento das atividades, segundo Marisa Fernanda de Carvalho, diretora da escola: "Felizmente, com essa parceria, conseguimos o investimento para melhorar o espaço da nossa escola”, explica.

De acordo Dinalva Barbosa Mendonça, coordenadora estadual do Programa Escola Melhor: Sociedade Melhor, até março de 2019 foram consolidadas 24 parcerias em todo o estado, com recursos de cerca de R$ 200 mil. “A expectativa para este ano é muito boa, pois existem, cada vez mais, escolas e parceiros aderindo ao programa”, informa.

Programa Escola Melhor

A iniciativa, que incentiva a melhoria do ensino da rede pública estadual, através da participação da comunidade escolar, já beneficiou 1.200 escolas e conta, atualmente, com 735 parcerias.

Somente em 2018, foram 313 parcerias consolidadas com recursos de R$ 1,7 milhão.

Mais informações no link do programa Escola Melhor. 

Texto: Diego da Costa/Ascom Seduc
Edição: Secom

  19 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

19 Acessos

Leite encaminha à PGE relatório sobre concessão do Cais Mauá na capital

O grupo de trabalho responsável por estudar a situação da concessão do Cais Mauá, em Porto Alegre, apresentou suas conclusões, na tarde desta quinta-feira (11/4), ao governador Eduardo Leite. Antes de tomar uma decisão, o chefe do Executivo encaminhou o relatório para análise da Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

A concessão do Cais por 25 anos foi assinada em 2010 pelo Consórcio Cais Mauá do Brasil, vencedor do processo licitatório, mas encontrou problemas para iniciar as obras. Todo o cenário foi agora analisado pelo grupo composto por integrantes da Secretaria de Logística e Transportes, da Superintendência do Porto do Rio Grande e uma procuradora-geral de Justiça para decidir o futuro da concessão.

“Precisamos ter segurança jurídica seja qual passo iremos dar. O Cais é um local estratégico não só para a capital como todo o Estado e, por isso, não podemos correr o risco de estender ainda mais as obras de revitalização”, destacou o governador.

Além da análise pela PGE, Leite vai se reunir com os representantes da concessionária que venceu a licitação, o Consórcio Cais Mauá do Brasil, na próxima semana. Depois dessas medidas, o governador voltará a se encontrar com o grupo de trabalho e anunciará sua decisão.

Responsabilidades

Dono da área do Cais Mauá, o governo do Estado é responsável pela licitação do projeto e pela fiscalização do empreendimento. Cabe à prefeitura de Porto Alegre conceder as licenças ambientais para as obras.

Por fim, como o empreendimento se localiza em área portuária, o governo federal, por meio da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e da Secretaria Nacional de Portos, também regula as possíveis utilizações do espaço.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom

  10 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

10 Acessos

Secretaria da Agricultura orienta para controle de raiva herbívora

Dezesseis focos de raiva herbívora foram registrados no Estado até 8 de abril, sendo 12 no primeiro trimestre. Técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) acompanham a situação na região de Soledade, onde há registro de quatro focos. A incidência da doença, que é causada por um vírus transmitido por morcegos, abrange nove municípios. Em São Valentim, Muçum, Ibirapuitã, Tio Hugo e Mormaço, mais de 60 animais morreram em 12 propriedades.

Em 2018, o Rio Grande do Sul contabilizou 34 focos de raiva em 24 municípios. No primeiro trimestre, houve sete casos. Os técnicos consideram o aumento verificado agora dentro do esperado, pois a circulação de animais portadores da doença é permanente. As causas da elevação podem ser várias, entre elas fatores que causam desequilíbrios ambientais, como alagamentos, desmatamentos e queimadas.

As ocorrências estão dentro da normalidade dos registros históricos observados no Estado nos últimos 10 anos. O último caso de raiva humana registrado ocorreu há 37 anos. A Seapdr é responsável pelo controle populacional de morcegos hematófagos (que se alimentam de sangue), autorizada por instrução normativa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) de 2006.

Controle

O controle da raiva herbívora está fundamentado em três medidas, que devem ser adotadas de forma sistemática: vacinação, controle populacional do morcego hematófago Desmodus rotundus (principal transmissor da enfermidade) e atuação em focos. “Se pecuaristas constatarem marcas de mordidas em animais, nossa orientação é que eles procurem o serviço de vigilância em saúde municipal e comuniquem a Inspetoria de Defesa Agropecuária mais próxima”, afirma o secretário Covatti Filho.

A partir de uma comunicação ao serviço oficial, registrando a ocorrência de agressões de morcegos e a presença de animais com sintomatologia nervosa, desencadeia-se uma série de ações para elaboração do diagnóstico situacional, baseando-se na leitura de mordeduras.

Confirmado laboratorialmente o foco de raiva, trabalha-se no sentido de fora para dentro do foco (centrípeta), numa distância de 10 a 15 quilômetros seguindo-se cursos d’água e cadeias de montanhas, a fim de determinar a progressão do foco. Nesta área, por meio da leitura de mordeduras, determina-se a taxa de agressão e são estabelecidas uma série de atividades para conter o foco e interromper sua progressão: vacinação massiva dos animais, revisão de todos os refúgios cadastrados, localização de novos refúgios, captura e combate de morcegos hematófagos, coleta de materiais (cérebros) e de espécimes de morcegos para diagnóstico laboratorial, além de promover educação sanitária por meio de reuniões, palestras, rádio, folders, cartazes etc.

O analista ambiental André Witt, da Seapdr, orienta os proprietários que tiveram contato com o animal doente, num perímetro de 10 quilômetros (delimitado como área do foco), a procurarem a vigilância em saúde do seu município para avaliação do quadro. A vacina contra a raiva em humanos é gratuita e está disponível nos postos de saúde.

Casos registrados no 1º trimestre de 2019
Janeiro – Forquetinha (2)
Fevereiro – Santo Antônio da Patrulha (1)
Março – Canudos do Vale (1), Ivoti (2), Salto do Jacuí (1), Santa Clara do Sul (1), Vale do Sol (1) e Venâncio Aires (3)

raiva herbívora2a Quatro focos foram registrados na região de Soledade - Foto: Divulgação / Seapdr

Orientações
Caso sejam constatadas marcas de mordidas em animais, os produtores devem procurar a Inspetoria de Defesa Agropecuária mais próxima. Veja endereços aqui.

Texto: Ascom Seapdr
Edição: Secom

  12 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

12 Acessos

Governador de Chaco propõe ampliar parcerias da província argentina com RS

Na busca por ampliar relações políticas, comerciais, científicas e tecnológicas, o governador da província argentina de Chaco, Oscar Domingo Peppo, está no Rio Grande do Sul nesta quinta (11/4) e sexta-feira (12/4). A visita da comitiva começou pelo Palácio Piratini, onde se reuniu durante a tarde com o governador Eduardo Leite e o secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia, Luís da Cunha Lamb. Também haverá visita à Universidade de Caxias do Sul (UCS) e agroindústrias da Serra.

Aproveitando a visita institucional da comitiva de Chaco, Eduardo Leite convidou o governador para participar do 3º Fórum de Governadores Brasil-Sul-Argentina. O evento será dia 25 de abril, em Porto Alegre, logo após reunião conjunta do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), quando Leite tomará posse da presidência da entidade.

“Para nós, é fundamental estreitar as relações com os países do Mercosul, sendo a Argentina um dos principais. O idioma é diferente, mas nem tanto, e temos muitos fatores culturais que nos aproximam. Precisamos aproveitar isso para ajudarmos no desenvolvimento mútuo dos nossos municípios, estados e países”, destacou o governador gaúcho.

A província de Chaco, através da Universidad Tecnológica Nacional - Facultad Regional Resistência, já realiza há mais de 10 anos pesquisas conjuntas e intercâmbios com a UCS, principalmente na área de educação e cultura para a paz. A ideia é ampliar essas parcerias para outras universidades e regiões.

“Estamos tão perto e, por falta de integração, muitas coisas das quais poderíamos fazer parte apenas passam por nossos estados e vão embora. Precisamos incentivar a conexão”, afirmou Peppo.

Também participaram da reunião o secretário do Codesul, Vicente Bogo, e o reitor da UCS, Evaldo Antonio Kuiava.

Capital das esculturas

Antes de seguir para Caxias do Sul, o governador argentino entregou a Leite uma estatueta, simbolizando um dos grandes orgulhos de Resistência (a mil quilômetros de Buenos Aires), a capital da província do Chaco, conhecida como a capital das esculturas. A cidade é um museu a céu aberto, com mais de 600 esculturas espalhadas por praças, avenidas e calçadas da cidade.

Localizada na parte austral do Grande Chaco sul-americano, a província de Chaco é uma das 23 regiões da República Argentina, situada no nordeste do país. A economia da região é baseada no setor primário, no qual se destacam os cultivos de algodão, soja, produção de gado bovino e extração de madeira.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom

  7 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

7 Acessos

Sine Móvel participará de feira de empregos em São Leopoldo no sábado (13)

O Sine Móvel participará da Feira de Educação de Empregos no sábado (13/4), das 14h às 18h, no centro de São Leopoldo (Rua Lindolfo Collor, 1.020). A unidade móvel oferecerá serviços de intermediação de mão de obra e encaminhamento de Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

O Sine Móvel da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS) tem a missão de levar os serviços à população em ações de cidadania. Para se candidatar às vagas de emprego, basta comparecer ao evento com carteira de trabalho.

Para encaminhar a 1ª ou 2ª vias da carteira de trabalho, é necessário apresentar a seguinte documentação:

1ª via
1 - Carteira de identidade ou certificado de reservista ou certificado de dispensa de incorporação, desde que conste data de expedição e foto ou carteira de registro profissional. O documento deve ser original e estar em bom estado. CNH não é aceita.


2 - Certidão de nascimento, para solteiros, ou certidão de casamento, com averbações, se tiver. O documento deve ser original e estar em bom estado.

3 – CPF, com dados cadastrais atualizados conforme identidade e certidão.

4 - Comprovante de residência com CEP da rua.

Obs: título de eleitor e CNH podem ser incluídos desde que sejam apresentados os documentos originais.

2ª via (continuação/inutilização)
Os mesmos documentos exigidos para a 1ª via, além da carteira de trabalho anterior.

2ª via (perda/roubo/extravio)
Os mesmos documentos exigidos para a 1ª via, além do boletim de ocorrência da Polícia Civil e de documento com número e série da carteira de trabalho anterior, como cópia da CTPS, termo de rescisão, contrato de trabalho, ficha de registro de empregado ou declaração do empregador, extrato completo do FGTS, extrato do PIS, extrato do INSS, requerimento do seguro-desemprego etc. Se o interessado nunca teve sua CTPS assinada, o número e a série poderão ser fornecidos pelo Ministério do Trabalho (Av. Mauá, 1.013 - Centro Histórico, Porto Alegre), mediante apresentação do extrato do INSS e do extrato do FGTS (ou comprovante do PIS).

A feira contará com a participação de instituições de ensino e de empresas da área de capacitação.

Texto: Jaíne Martins/Ascom FGTAS 
Edição: Secom

  7 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

7 Acessos

Estado garante R$ 31 milhões anuais para Santa Casa de Uruguaiana

O novo contrato da Secretaria Estadual da Saúde (SES) com o Hospital Santa Casa de Caridade de Uruguaiana foi assinado nesta quarta-feira (10/4), garantindo um repasse anual de R$ 31 milhões, em parcelas mensais de aproximadamente R$ 2,5 milhões, referentes a recursos estaduais e federais. A vigência é de 60 meses. Dos 245 leitos da instituição, 198 são destinados a atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O contrato prevê que o hospital deixe de realizar atendimento de cardiologia pelo SUS. Serviços de outras especialidades tiveram uma redução na taxa de atendimentos, como, por exemplo, exames de colonoscopia. A demanda excedente será absorvida por outros hospitais da região.

A secretária da Saúde, Arita Bergmann, definiu o novo contrato como algo “factível e um recomeço para o hospital”. Ela destacou a importância do acordo: “Temos de fazer políticas públicas que tenham entregas concretas para a população. Esse contrato vai viabilizar a execução de serviços que sabemos que a direção da Santa Casa hoje tem condições de entregar”.

Participaram da assinatura os deputados estaduais Eric Lins e Frederico Antunes, o prefeito de Uruguaiana, Ronnie Mello, a secretária adjunta estadual da Saúde, Aglaé Regina da Silva, e a secretária de Saúde de Uruguaiana, Thaís Aramburu.

“Só tenho a agradecer pela contratualização e garantir que vamos cumprir o contrato”, prometeu o prefeito. A secretária Thais afirmou que “trabalhará muito para reerguer a Santa Casa de Uruguaiana”. Para o deputado Eric Lins, “este não precisa ser o último contrato, mas é um bom começo”. O deputado Frederico Antunes definiu o acordo como “o primeiro contrato deste novo modelo de gestão da Santa Casa”.

Texto: Ascom SES
Edição: Secom

  11 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

11 Acessos

Cachoeira do Sul sedia Simpósio Sul-Americano e abertura da colheita da noz-pecã

Entre quinta (11/4) e sexta-feira (12/4), Cachoeira do Sul será sede do 2º Simpósio Sul-Americano e 2ª Abertura Oficial da Colheita da Noz-Pecã.

O evento começa às 7h30, no auditório da Ulbra, e segue, durante o dia, com palestras, cases de sucesso e painéis.

No segundo dia, na sede da Pecanita Agroindustrial, a ênfase será a capacitação técnica, a partir de visita a três estações técnicas para conhecimento da produção, desde o planejamento até o processo de armazenamento da colheita.

A abertura oficial será na sexta-feira, às 11h, com presença de autoridades, como Covatti Filho, secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural. O evento, que teve sua primeira edição em 2018 em Anta Gorda, busca valorizar a pecanicultura no Rio Grande do Sul, uma vez que, como explica o assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar, Alfredo Schons, é a produção que mais cresceu na fruticultura gaúcha nos últimos anos.

“O trabalho que a Emater desenvolve com pequenos e grandes produtores tem cerca de dez anos. É um trabalho relativamente recente que, embora apresente resultados, ainda carece de conhecimento para o manejo. Por isso é importante que se incentive eventos como esse”, explica Schons.

O público-alvo são produtores rurais, empresários, técnicos, comerciantes, industriais, extensionistas, estudantes e pesquisadores. As palestras e painéis contarão com especialistas da América do Sul e da América do Norte, com debates sobre o cenário atual e tendências de mercado, além de palestras sobre técnicas de produção. Também haverá uma mostra de trabalhos científicos sobre nogueira-pecã.

O evento é promovido pela prefeitura de Cachoeira do Sul, Câmara Setorial da Noz-Pecã, governo estadual, Emater/RS-Ascar e Embrapa Clima, com apoio das universidades Ulbra e Ufrgs e de três empresas cachoeirenses do ramo: Pecanita, Paralelo 30 e Divinut.

Texto: Ascom Emater/RS-Ascar
Edição: Secom

  13 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

13 Acessos

Governador anuncia Roberto Barbuti como novo diretor-presidente da Corsan

Convidado pelo governador Eduardo Leite e pelo secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, Roberto Barbuti é o novo diretor-presidente da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). O anúncio foi feito nesta quinta-feira (11/4).

Bacharel em Administração Pública e em Direito, Barbuti acumula quase 30 anos de experiência em bancos nacionais e internacionais e em consultorias. Pela primeira vez, aceitou assumir um cargo público. “É um grande desafio, mas me considero preparado para contribuir com a empresa e, consequentemente, com o governo do Estado”, afirmou Barbuti.

Na primeira reunião com o governador, o novo gestor já elencou prioridades, como redução de perdas e de custos, tornar as obras mais eficientes e ágeis, além de avançar na regulação dos serviços.

Responsável por 5,9 mil funcionários e pelo abastecimento de água tratada para 6 milhões de pessoas em 317 municípios gaúchos, a Corsan tem como principal desafio ampliar o índice de atendimento com serviço de esgoto, atualmente em 14,9%.

“O saneamento é dos aspectos fundamentais para o nosso governo. O serviço de coleta e tratamento de esgoto não condiz com o desenvolvimento do estado. Por isso, a Corsan é muito importante e terá atenção total durante os próximos quatro anos”, ressaltou o governador.

Nesse sentido, Leite confirmou que a companhia será incluída no RS Parcerias, buscando parcerias com o setor privado para realizar obras de ampliação do abastecimento de água e do saneamento, no que teve o apoio do novo diretor-presidente da Corsan.

“Não podemos mais aceitar que uma obra demore mais de 10 anos para ser concluída, como aconteceu com a ETA recém inaugurada em Santa Rosa. As PPPs (parcerias público-privadas) podem dar celeridade aos investimentos e melhorar o serviço mais rapidamente à população, porque não enfrentam a burocracia e a lentidão do poder público”, afirmou Leite.

Trajetória

Nascido em São Paulo (SP), Roberto Barbuti formou-se em Administração Pública pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV), em 1989, e em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), em 1991. Também tem MBA concentrado em Finanças e Empreendedorismo pelo Instituto Europeu de Administração de Empresas, o Insead, em Fontainebleau, na França.

Barbuti desenvolveu sua carreira profissional em São Paulo, começando como analista de negócios na consultoria de gerenciamento McKinsey & Company. Mais tarde, passou por diferentes funções em bancos como Safra, Bank of America Merrill Lynch, Santander, UBS Investment Bank/UBS Pactual e Patrimônio. Nesse meio tempo, também atuou na International Ventures Participações (IVP).

Antes de aceitar assumir a Corsan, estava atuando como consultor sênior especializado em estratégias de finanças corporativas e em oportunidades relacionadas a processos judiciais.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom

  10 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

10 Acessos

Secretaria da Cultura realiza Encontro de Festivais de Artes Cênicas

A sede campestre do Sesc (av. Protásio Alves, 6.220), em Porto Alegre, será palco para gestores de festivais nesta quinta-feira (11/4) e sexta-feira (12/4). Dezenas de profissionais de teatro, dança e circo vão discutir incentivos para as artes cênicas no Brasil, focado no Rio Grande do Sul, durante Encontro de Festivais de Artes Cênicas RS.

A realização é da Secretaria da Cultura (Sedac), por meio do Instituto Estadual de Artes Cênicas (IEACen), Sesc e Fecomércio-RS. Mais de 40 gestores de diferentes municípios estão inscritos. Possibilidade de inscrição pode ser informada pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. A secretária Beatriz Araujo estará presente.

Na quinta-feira (11), os painéis começam às 15h. Serão destaque os temas “Artes cênicas e seus desafios para a internacionalização – rodadas de negócios nas artes cênicas”, “Indicadores e mapeamento dos festivais de teatro do Brasil” e “Modelo de gestão e modelo artístico dentro de um festival”.

Às 15h30, o diretor de Fomento da Sedac, Rafael Balle, fala sobre o incremento para as artes cênicas no país. “Serão dois dias para fazer os gestores de festivais se sentirem agentes de economia do Estado e não apenas meros realizadores de eventos", afirma Ruben Oliveira, diretor do IEACen.

Encontro Artes Cênicas 2 Empreendedorismo nas artes cênicas também está entre os temas - Foto: Divulgação / CCMQ / Arquivo

Na sexta-feira (12), o painel de abertura, às 9h, será “Palco Giratório, intercâmbio e difusão das artes cênicas”, com Jane Schöeninger, coordenadora técnica da Gerência de Cultura do Sesc-RS. “Dinâmicas sobre empreendedorismo nas artes cênicas” e “diálogos culturais” também estão na pauta.

O evento se encerra às 14h30, com eleição dos colegiados setoriais do teatro, dança e circo. A Sedac aproveita para fazer um chamamento à participação da comunidade cultural, para que esteja presente no sentido de fortalecer as entidades e definir políticas de Estado para as artes cênicas.

Texto: Rafael Varela / Ascom Sedac
Edição: Marcelo Flach/Secom

  41 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

41 Acessos

Recital celebra 148 anos da Biblioteca Pública do Estado

Um recital comemorativo dos 148 anos de criação da Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul (BPE) será no próximo domingo (14/4), às 16h30min, no Salão Mourisco, em parceria com Vox Própolis – Encontros vocais.

A soprano coloratura Camilla Allegra, o baixo Guilherme Roman e o pianista Rodolfo Daniel Wulfhorst apresentarão obras de Mozart, Hekel Tavares, Händel, Saint-Saëns, Verdi e Gershwin.

O evento, que abre a temporada 2019 do programa Novos Talentos Líricos, tem entrada mediante contribuição espontânea.

Receital BPE Ingresso é contribuição espontânea para os músicos - Foto: Reprodução

Recital comemorativo os 148 anos da BPE

Dia: 14 de abril (domingo)
Hora: 16h30min
Local: Salão Mourisco da Biblioteca Pública do Estado (Rua Riachuelo, 1.190 –  Centro Histórico, Porto Alegre).
Valor: contribuição espontânea

Texto: Ascom Sedac
Edição: Secom

  17 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

17 Acessos

Governador destaca profissionalismo de bombeiros ao ser paraninfo de turma de tenentes

Depois de quase cinco meses e uma jornada de 1.125 horas aula, se formaram nesta quinta-feira (11/4) 38 tenentes do Corpo de Bombeiros Militar (CBM). A conclusão do curso de Tecnólogo em Gerenciamento e Defesa Civil da Academia de Bombeiros Militar foi celebrada em cerimônia no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre.

Paraninfo da turma, o governador Eduardo Leite entregou a espada que simboliza o oficialato ao primeiro colocado no curso, primeiro-tenente Igor Gomes Marchionatti. Em seguida, as demais espadas foram entregues pelos padrinhos aos formandos.

“Em nome da sociedade gaúcha, quero agradecer a vocês que colocam as próprias vidas em risco para proteger as nossas. Parabéns a vocês, bombeiros, que mais do que salvar vidas, protegem e evitam que estas sejam colocadas em risco”, afirmou Leite à turma, chamada de São Floriano, em homenagem ao padroeiro dos Bombeiros.

Ainda durante a formatura,o governador assinou o decreto que habilita os então sargentos, com a conclusão do curso, a se tornarem tenentes. “Novas missões os aguardam e tenho certeza que estão aptos a cumpri-las”, concluiu Leite.

Vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior também parabenizou os formandos pela coragem de servir ao bem comum. Em seu discurso, usou a palavra “maratona”, citada pelo orador da turma, para se referir aos primeiros 100 dias da gestão. “Foi uma verdadeira corrida, extensa, mas, felizmente, exitosa. Já estamos colhendo os primeiros resultados positivos no governo e, principalmente, na área da segurança, com redução de índices de criminalidade”, afirmou Ranolfo.

O comandante do CBM, coronel César Eduardo Bonfanti, fez coro às palavras e lembrou que, com pouco mais de um ano e meio de independência da Brigada Militar, a corporação teve grandes avanços e investimentos. “No entanto, o Corpo de Bombeiros não é nada sem as pessoas, os praças e oficiais”, finalizou Bonfanti.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom

  8 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

8 Acessos

Venda de imóveis alcança cotação média 38% acima do valor inicial

Com um número expressivo de interessados, a venda de imóveis do Estado, organizada pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) na quarta-feira (10/4), registrou arrecadação de R$ 1,52 milhão. De um lote de 32 propriedades, entre salas comerciais, lojas e apartamentos que pertenciam ao Ipergs (Instituto de Previdência do Estado), quatro unidades foram arrematadas, com  valorização média 38% acima do preço inicialmente fixado no edital lançado pela Subsecretaria Central de Licitações (Celic).

Uma loja na rua Marechal Floriano, no Centro Histórico de Porto Alegre, foi vendida por R$ 817 mil, quando o preço mínimo fixado era de R$ 516 mil. A maior valorização, proporcionalmente, foi registrada na alienação de um imóvel na rua dos Andradas, que saltou de R$ 196 mil para R$ 310.234,56 (59% acima do lance mínimo). Houve ainda a venda de uma propriedade da rua Washington Luiz, também no Centro, por R$ 151 mil.

O quarto imóvel alienado fica no município de Garibaldi. Uma loja na avenida Rio Branco foi arrematada por R$ 258,8 mil, pouco acima do lance inicial de R$ 254 mil.

Próximos leilões

Esse lote faz parte de um total de 78 imóveis que a Seplag pretende colocar à venda ao longo das próximas semanas. Na sexta-feira (12/4), às 14h, seis terrenos no bairro Gramados, no município de Tatuí, no interior de São Paulo, serão leiloados. Avaliados cada um, em média, a R$ 31 mil, faziam parte do patrimônio da extinta Corlac (Companhia Riograndense de Laticínios e Correlatos). A concorrência também será na sede da Celic, em Porto Alegre.

Na próxima semana, dia 22 de abril, o Estado fará nova tentativa de vender cinco terrenos em Tramandaí, com avaliação total de R$ 7,5 milhões. A área está localizada na avenida da Igreja, uma das regiões mais valorizadas do Litoral Norte. A abertura das propostas está marcada para as 14h. As concorrências ocorrem na sede da Celic, na avenida Borges de Medeiros, 1.501 - 2º andar, no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), em Porto Alegre.

Texto: Pepo Kerschner/Ascom Seplag
Edição: Marcelo Flach/Secom

  10 Acessos

Copyright

© Governo do Rio Grande do Sul - Notícias do Piratini

10 Acessos